Theme Layout

layout_grid

Boxed or Wide or Framed

Theme Translation

Display Featured Slider

Featured Slider Styles

[Boxedwidth][caption2]

Display Trending Posts

Display Instagram Footer

userId: 200280022, accessToken: '1677ed0.27286c4787d645babafe132cb8a61844',

Dark or Light Style

Metal: Uma Jornada pelo Mundo do Heavy Metal - (Metal: A Headbanger's Journey)



Hoje vim fazer uma mega indicação pras férias de vocês. Não só pras férias, mas pro cérebro, pro coração, pra vida . Considerado como "obrigatório" para os fãs de metal, vou falar sobre o "Metal: A Headbanger's Journey" , no Brasil conhecido como "Metal: Uma Jornada pelo Mundo do Heavy Metal", que é um documentário sobre o surgimento do heavy metal e os subgêneros do metal. 

"O que é o heavy metal? De onde surgiu? Por que provoca tanta devoção e, ao mesmo tempo, tantas críticas?"Essas são perguntas que esse documentário procura responder. O longa é resultado de cinco anos e meio de pesquisa sobre a o mundo headbanger e suas influências, sendo lançado no ano de 2005. Mesmo sendo um pouco antigo, é de grande valor, e ainda uma grande recomendação para conhecer mais do gênero e cultura metaleira. Você vai contemplar desde o surgimento do estilo musical, a luta contra a censura, o machismo presente até fenômenos do black e death metal e seu envolvimento com o incêndio de igrejas. 

Todo filme é dividido em tópicos como: sua origem, influência cultural, religião e outros, mergulhando em um universo criado a partir desse grande estilo musical e catalogando os diversos subgêneros. O antropólogo e diretor Sam Dunn explora as diversas faces da cultura metaleira, buscando destrinchar o heavy metal na visão dos próprios músicos, produtores, críticos e estudiosos do gênero. Sam entrevista diversos cantores como Bruce Dickinson, Ronnie James Dio, Alice Cooper e também vários sociólogos, psicólogos, produtores musicais, donos e executivos de gravadoras e fãs, reunindo depoimentos importantes para a história e caracterização do metal. É encantador. 

O heavy metal vai além de um estilo musical, sendo considerado até como um modo de vida, uma ponte entre o real e o imaginário. Sam consegue responder com inteligência as perguntas propostas no tema. E, vai por mim, as respostas que ele consegue são geniais.

Eu assisti pela Netflix, e infelizmente não achei na web. Mas é possível achar o DVD ou Bluray para comprar nas lojas online, por menos de R$20,00.

"Esta música é um estilo de vida. Todos os demais é como 'Sim, gostei por uma semana, mas perdi o interesse.', mas no metal, os fãs o amam para sempre."

"Se o metal não dá aquela onda enorme de poder que fazem o cabelo em pé na parte de trás do seu pescoço, você nunca pode obtê-lo, e você sabe o quê? Isso é bom, porque a julgar pelos 40.000 metaleiros em torno de mim, estamos indo muito bem sem você!"

Leia Também:

9 comentários:

  1. Caramba! Eu assisti ontem e também foi pela Netflix!!! (Assinei semana passada e creio que está arruinando minha vida social, porque não paro de apertar o play em filmes ou seriados).
    Eu realmente amei esse documentário e, como você disse, é obrigatório para quem é fã de Metal. Você deve ter visto mas mesmo assim vou falar, além desse Sam Dunn fez um outro em 2008 que chama-se Global Metal, eu ainda não assisti mas vou, porque planejo fazer um post sobre esses dois documentários. Muito Bom!
    Beijão

    www.blogsoudelua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já vi esse documentário em algum canal pago (não me lembro qual foi). Óbvio que é um daqueles documentos que vejo em um impulso só de tanta curiosidade. Gostei bastante do trabalho, fiquei boba!

    Beijão!

    C.F.H.

    Curta aqui!

    ResponderExcluir
  3. Ouvi muitos comentários bons desse documentário, estou louca pra ver!
    Metal é vida!!
    Sucesso ao seu blog!

    •☆• Memórias de uma Guerreira •☆•

    ResponderExcluir
  4. Embora eu não seja muito fã de heavy metal eu queria ver esse documentário
    fashionemcores.com

    ResponderExcluir
  5. Esse é meu documentário de cabeceira. Infelizmente não consigo concordar com a forma que o Black Metal é inserido no documentário - visões distorcidas e unilaterais, ou mesmo a entrevista de membros de bandas que estavam apenas aproveitando o "boom" para farrear e fazer merda às custas do estilo.
    Mesmo assim (e apesar do meu foco no metal ser exatamente o Black e o Death ~ metal extremo), foi com esse documentário que descobri e passei a respeitar outros músicos. O Dio parecia uma pessoa tão humilde e simpática, não?

    Enfim, recomendo também o "Once Upon a Time in Norway", que trata apenas de metal extremo, para quem se interessar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também achei bem exagerado EIJUEHEUHEUHE e me decepcionei com o Slayer um pouco. Eu já vi o Once Upon a Time in Norway e gostei bastante. Tem a continuação do documentário do post também que se chama Global Metal (não sei se já viu) que é muito bacana também, eles visitam o Brasil e fazem várias entrevistas aqui.
      Beijão San!

      Excluir
  6. Meninaaa, não acredito que eu perdi esse monte de postagem no seu blog :o
    Sempre passo por esse documentário no Netflix e não paro pra assistir, sempre acabo assistindo um filme (meu vício). Vou dar um jeito de assistir essa semana sem falta!
    Ótima dica, com certeza!

    ResponderExcluir
  7. Esse documentário e o Global Metal eu vi várias vezes, adorava ver como alguém tinha conseguido compilar várias coisas sobre esse estilo de vida e mostrar isso ao mundo.
    Nada mais arrepiante e foda do que aquela cena final, quando começa a toca Master of puppets e ele fala "Ou você sente isso ou não. Se o metal não te dá aquela sensação de poder envolvente e não faz com que os seus cabelos da nuca se arrepiem, você pode nunca entender. E quer saber? Tá tudo bem. Porque a julgar pelos 40.000 metalheads a minha volta, nós estamos bem sem você!"
    Parabéns pelo post, Vân! Muito bom mesmo!
    Beijão e té mais!

    ResponderExcluir
  8. Esse documentário e o Global Metal eu vi várias vezes, adorava ver como alguém tinha conseguido compilar várias coisas sobre esse estilo de vida e mostrar isso ao mundo.
    Nada mais arrepiante e foda do que aquela cena final, quando começa a toca Master of puppets e ele fala "Ou você sente isso ou não. Se o metal não te dá aquela sensação de poder envolvente e não faz com que os seus cabelos da nuca se arrepiem, você pode nunca entender. E quer saber? Tá tudo bem. Porque a julgar pelos 40.000 metalheads a minha volta, nós estamos bem sem você!"
    Parabéns pelo post, Vân! Muito bom mesmo!
    Beijão e té mais!

    ResponderExcluir

[name=Vân Crist] [description=Your Description Here] (facebook=https://www.facebook.com/vaniacristinast) (twitter=https://twitter.com/VanzZombie) (instagram=https://www.instagram.com/vancrist/) (pinterest=https://pinterest.com/vancrist/) (tumblr=http://zombieffect.tumblr.com/)

@vancrist